• Georgina Morelli Matos

10 Tendências em alimentação fora do lar em 2020



O setor de alimentação fora do lar engloba bares, restaurantes, lanchonetes e qualquer outro estabelecimento que tenha como principal mote a venda de alimentação.


O setor cresce ano a ano, tanto na formalidade quanto na informalidade, sendo opção de milhares de pessoas que querem tornar-se empreendedores.


E o cenário do setor é cada dia mais competitivo. Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL) estima que haja, no Brasil, um total de um milhão de bares e restaurantes. O mercado de alimentação fora do lar alavanca os comércios locais, gera emprego e integra o setor turístico, que no Brasil, movimenta mais de 492 bilhões de reais anualmente.


Diante disso, é importante estar ligado nas tendências do mercado, adequando-se e buscando estar na frente para seguir vivo nesse segmento.


Listo abaixo 10 tendências para o mercado de alimentação fora do lar, para que você possa refletir, planejar e se preparar para as novidades.


1 Aumento ainda mais expressivo do delivery.

O aplicativo Ifood, por exemplo, não tem do que reclamar!

A empresa alcançou a marca de 390 mil pedidos de comida diários pelo aplicativo em outubro de 2018, o que significa um crescimento significativo em relação ao ano anterior, que, no mesmo período, marcava 183mil pedidos por dia, ou seja, um crescimento de 109%.

Portanto, se você já trabalha com o modelo de delivery, pense em investir ainda mais e, se ainda não, que tal verificar a viabilidade de criar novo canal de venda do seu produto?


2 Restaurantes se adaptarão às novas formas de pagamento

A explosão de fintechs parece não ter mais fim. As modalidades de pagamento estão se diversificando, dando mais opções tanto para o cliente quanto para o estabelecimento. Estar atento a esta mudança de comportamento é fundamental. Afinal, um dos grandes diferenciais de um estabelecimento de alimentação são, justamente, as facilidades de pagamento.


3 Preocupação maior com as embalagens para viagem

Isto justamente por conta do aumento do delivery. As empresas devem aproveitar a oportunidade de comunicar suas marcas nessas embalagens, aspecto muitas vezes negligenciando por ver o delivery de forma não tão estratégica.

Aplicar a marca, pensar materiais, personalização, e preocupação com o meio ambiente, se tornarão diferenciais num mercado de clientes que deixarão de ir nos restaurantes e terão acesso à empresa somente através das embalagens e aplicativos.


4 Sustentabilidade cada vez mais em evidência

Por falar embalagens, a sustentabilidade estará cada vez mais presente na estratégia dos estabelecimentos. Quando a concorrência é grande a diferenciação é feita nos detalhes, na essência e no reforço da marca.

A sustentabilidade entra como bandeira alterando processos na manufatura dos produtos, no descarte de alimentos e outros insumos e, claro, em todos os materiais utilizados pelo restaurante, como talheres, embalagens de viagem, canudos, copos e até mesmo material de higiene.

5 Comidas mais saudáveis e os micro-nichos da moda

Os consumidores vão buscar, cada vez mais, opções saudáveis no cardápio. Sejam opções veganas, vegetarianas, sem glúten, sem lactose, etc.

Esses e outros micro nichos ganham destaque no mercado e casas especializadas terão mais chances de se estabelecer e diminuir seu custo operacional.

O consumidor buscará mais qualidade (nutricional, visual, etc) e menos quantidade exagerada de comida.


6 Estabelecimentos SEM salão de atendimento ao cliente

Além dos estabelecimentos que operam somente em delivery, que aumentarão ainda mais, crescerá o número de pequenos espaços onde o alimento é preparado e vendido no balcão. Seja para retirar, para comer na rua ou para entrega. É claro que os mesmos devem concentra-se em lugares de maior fluxo de pessoas e não será incomum vermos estabelecimentos já consolidados operando em horários alternativos nesta modalidade.


7 Aumento de capacitação específica na área

Com o aumento do segmento de mercado e com necessidade de capacitação para uma parte recém inaugurada, aumentará a oferta de infoprodutos, cursos online, workshops e formações em geral dentro do segmento de alimentação. Mesmo empresas não especialistas devem lançar produtos especiais para esse segmento, percebendo uma lacuna e demanda do mercado por especialização.


8 Será mais comum ver tablets como cardápios

Com o amadurecimento do público para a tecnologia, os estabelecimentos farão melhor uso desses recursos para melhorar a experiência de venda com o cliente, inovando no processo de compra e tornando-o também mais autônomo, diminuindo custo com equipe de atendimento.


9 Restaurantes usarão mais estratégias de marketing para alcançar seu público

Puxados pelo marketing digital, que dá acesso ao perfil do público que engaja nas redes, restaurantes vão preocupar-se mais em atuar especificamente com seu público alvo, desenvolvendo ações e campanhas mais específicas e mais antecipadas.


10 Valorização da comida teatral ou "instamagrável"

A apresentação dos pratos e dos pedidos de entrega será ainda mais explorada em busca da disrupção. A intenção será impactar o suficiente o cliente para que o mesmo opere como um micro influenciador da marca, divulgando e enaltecendo as virtudes da comida apresentada. A comida teatral é aquela que gera experiência não só ao olfato e ao paladar, mas também à visão, ao tato e, porque não, à audição. É o fortalecimento do marketing multi sensorial.


Espero que estes 10 itens tenham lhe instigado e provocado a planejar um ano com muitas inovações em seu estabelecimento, trazendo diferencial ao seu negócio. Pois quando nos diferenciamos, dificilmente o concorrente nos incomoda.




© 2018 NOVE TRES

  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone
  • Ícone cinza LinkedIn