• Georgina Morelli Matos

Como ser original no marketing?



Com a globalização, Google e o fácil acesso a informação, parece que aos poucos todo mundo vai se nivelando pelo que parece ser um negócio ou profissional ideal. Além disso, certas ações de marketing, conteúdos e ferramentas parecem estourar nos perfis de todos os empreendedores à nossa volta do dia pra noite, fazendo tendência e influenciando nosso comportamento.


Fica difícil se diferenciar, porque temos medo de sermos julgados pelo que somos e pelo que oferecemos, medo da rejeição, medo das pessoas ficarem apontando o dedo pelas nossas costas.

Então, fica mais fácil, mais seguro e indolor, olhar o que outros estão fazendo e montar um quebra cabeças de um post aqui, um produto ou técnica dali, e por aí vai.


No fim, numa busca quase obsessiva pelo sucesso, perdemos justamente aquilo que nos torna únicos: nossa essência.


Nem toda receita de bolo funciona igual para todos. E misturar receitas diferentes pode gerar ainda mais confusão. Cada empreendedor tem seu conjunto de habilidades, capacidades e, sim, admita, limitações.


Ok, o que fazer? Descubra quem você é. Descubra o que seu negócio oferece, o que defende, o que entrega, o que não faz e nem nunca fará!


Definir os limites (ou fronteiras) daquilo que somos e oferecemos é meio caminho andando. Pare de olhar tanto pro terreno do vizinho. É tentador, eu sei. Mas te limita! De comparar com a régua do vizinho sem saber o que acontece por dentro do negócio dele é injusto contigo mesmo.


Coloque coragem na sua receita. Se coloque disposto a se expor e faça isso com frequência.


Busque referências, mas não torne-se refém delas. Seja crítico com o conteúdo que você consome. Não acredite em tudo o que lê, mesmo escrito por uma subcelebridade digital. Empresas grandes também erram! Vimos muito disso durante a pandemia.


Saiba lidar com a rejeição. Vender é muito mais sobre não se deixar abater pelos 'nãos'. E esses 'nãos' serão de pessoas que não se identificam com você e com sua proposta. Tá tudo certo!


O original ainda existe? Sim, mas dá trabalho. E a gente se amarra num atalho. Aceite que leva tempo x dinheiro.


Tempo e/ou dinheiro? Sim! Ou você tem grana pra investir e colocar profissionais que vão encurtar o caminho e somar energias com você, ou você terá que esperar mais tempo, ter paciência e investir tempo do próprio relógio em tarefas que, sem grana, não vai poder terceirizar.


Ser original é um grito de liberdade, acredite!

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo