• Georgina Morelli Matos

Empreendedorismo Feminino - Porque devemos falar sobre isso



Dispensando vitimismo e na busca incansável de autonomia e realização profissional, cada vez mais mulheres escolhem empreender nos mais variados tipos de negócio. Mas porque ainda devemos tratar o empreendedorismo feminino com destaque especial?


Vivemos numa sociedade em transformação e apoiar o empreendedorismo feminino é empoderar mulheres que, por trás dos holofotes, sustentam famílias, equilibram funções diversas e buscam as mesmas condições de crescimento e sucesso que empreendedores.


O tal preconceito que alguns podem chamar de "mimimi" e mesmo afirmar que não existe mais, acompanha a carreira de mulheres de forma velada e até mesmo escancarada.

A objetificação de que muitos falam, nada mais é do que passar por cima da profissional e vê-la como um objeto, desconsiderando seu papel e a colocando como incapaz.

A sensibilidade e empatia, característica recorrente nas mulheres, é vista como fragilidade. Se transformando num grande "PREFIRO QUE ISSO SEJA FEITO POR UM HOMEM".

Nos vemos muitas vezes rindo de brincadeiras que não tem graça ou fingindo que não ouvimos certas coisas para simplesmente continuar fazendo nosso trabalho.

Se uma mulher é passiva, é vista como incapaz. Se é determinada e fica firme em sua opinião, é vista como agressiva e autoritária.


E muitas vezes, sem nos darmos conta, quem está nos julgando são também mulheres, acostumadas a ver o universo dos negócios com os óculos de lentes do passado.

Não significa que a escolha correta da mulher contemporânea deve ser empreender. O que se cobra é que se tenha escolha sem julgamento. E se a escolha for empreender, que ela possa fazer isso com toda coragem e determinação que a escolha exige.


Muitas mulheres são responsáveis pela administração das tarefas do lar, e essa é uma tarefa invisível que toma muito tempo e muitas vezes não é uma tarefa compartilhada. Cuidar dos filhos, da dispensa, das contas, da limpeza, etc. Muitos homens "ajudam", quando na verdade essa é uma demanda em que a responsabilidade deveria ser compartilhada.

E nesse papel de mulher equilibrista, nos vemos desejando a realização profissional. Então, somando o trabalho às tarefas da casa e mesmo aos cuidados pessoais da mulher, é uma imensa carga de atividades para ainda buscar destaque no mercado de trabalho.


Por isso, apoie uma mulher empreendedora. Não julgue que ela deixou de lado o lar, o parceiro, a vaidade, as amizades. Ela está fazendo uma escolha extremamente corajosa de desafiar uma cultura arraigada na sociedade, e fazendo isso tentando dar conta de todo o restante.


Sabemos que há empreendedores bons e ruins, sendo homem ou mulher. O que deve ser refletido é que tem que ter muito #girlpower e ser muito #girlboss para escolher empreender, e muitas vezes pessoas que estão próximas de nós nem se dão conta de que na prática, não nos apoiam, tornam a escolha mais difícil.


Se você é uma empreendedora, seja em seu próprio negócio ou trabalhando no negócio de alguém, trabalhe! A sua parte para que tenhamos igual valor no mercado é mostrar à quem duvida da nossa capacidade que está pensando errado.





0 visualização

© 2018 NOVE TRES

  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone
  • Ícone cinza LinkedIn